Lembre-se beba água mesmo nos dias mais frios

Share on facebook
Partilhe

Quando faz frio não temos tanta sede, o que leva a que o consumo de água diário seja menor. Por mais estranho que pareça, o risco de desidratação pode ser maior no tempo frio do que nos meses de calor, especialmente entre as pessoas mais seniores.

A falta de sede não significa que o corpo não esteja a precisar de água. A sensação de sede é provocada por uma hormona chamada vasopressina que, em baixas temperaturas e com a circulação sanguínea concentrada nos vasos centrais, deixa de alertar para a falta de água no corpo, inibindo a necessidade de consumir a quantidade suficiente para o bom funcionamento do organismo.

Como no tempo frio só apetece ficar no interior quente e confortável do lar, pode acontecer estarmos a perder o mesmo volume de água como se estivéssemos a caminhar ao sol num dia de calor. Numa casa bem aquecida, continuamos a perder água através da respiração e também pelo suor, que é provocado pela temperatura ambiente mais elevada dentro de portas e aumentado com os agasalhos.

É mais apetecível beber água nos dias quentes e soalheiros, do que nos dias frios. Nesta altura do ano, é usual recorrer a bebidas mais quentes, o que pode dar a ideia de que se está a manter os níveis de hidratação quando, na realidade, estas bebidas podem acelerar o processo de desidratação. Uma chávena de chá ou de café, bem quentinhas, à frente da televisão, parece uma ideia muito agradável pois ajuda a manter o corpo quente, mas provoca uma maior perda de fluidos através da respiração e suor. Além disso, tanto o chá como o café são normalmente consumidas quentes, em menor quantidade e mais devagar, o que reduz potencialmente a ingestão total diária de líquidos.

As bebidas alcoólicas também promovem a desidratação, pelo que devem ser evitadas ou consumidas com moderação. E, como referido, se passar muito tempo à frente do aquecedor ou da lareira, o corpo irá perder água através da transpiração, o que não se nota tanto por baixo das várias camadas de roupa.

Beber água todos os dias do ano em quantidade suficiente é extremamente importante para os seniores porque ajuda ao normal funcionamento dos rins e à actividade regular do sistema digestivo, muitas vezes já com dificuldades em cumprir as suas funções, como é o caso nas pessoas de idade mais avançada. A medicação que tomam também tem que ser tida em conta, sendo a água fundamental para que os componentes químicos sejam bem absorvidos.

Tanto os seniores como quem cuida deles terão de estar atentos a todos este factores ambientais e agir para diminuir o risco de desidratação. A solução é muito simples e passa por criar rotinas de ingestão de líquidos, com a ajuda de uma água com qualidades únicas.

Como beber mais água no tempo frio

Beber água é um hábito que deve ser adquirido de forma deliberada, não devendo estar dependente dos sinais fisiológicos, como a sede. A melhor prática é criar as condições para beber água regularmente ao longo do dia, tendo uma quantidade mínima como objectivo.

O consumo diário de água indicado para um sénior ronda os 1,7 litros, o que equivale a sete a oito garrafas pequenas de água de 25 cl ou a uma garrafa de litro e meio, mais um bocadinho.

Se possível, tenha água à temperatura ambiente e sempre ao seu lado, para poder ir bebendo. Não deixe que o frio o engane e beba água regularmente, em quantidade e com qualidade. Escolha uma água com os minerais essenciais ao bom funcionamento do organismo e que complemente uma dieta equilibrada. Exercite o físico sempre que puder. Uma vida activa e em movimento é uma das chaves para uma vida com mais energia, saúde e bem-estar. Até os momentos de descanso irão saber melhor. É o conjunto dos seus hábitos que faz a diferença.

Mantenha-se sempre bem hidratado, activo, confortável e abrigado do frio lá fora.

Cuide do seu corpo por inteiro. Beba Água do Vimeiro.

Share on facebook
Partilhe

Artigos Relacionados

A Hidratação e os Atletas mais velhos (2ª parte)

Mas que minerais são estes? São nutrientes que podem encontrar na vossa água que têm um impacto directo na hidratação e no rendimento dos atletas, minimizando a fadiga e otimizando a função nervosa e a contração muscular, para além da manutenção da densidade óssea, dentição, frequência cardíaca e regulação do metabolismo celular.