“Sou dos que fica o dia todo na praia”: que cuidados extra de hidratação devo ter?

Partilhe

Ouvimos frequentemente que “as temperaturas dispararam”, e já sabemos o que se segue: chinelos calçados, calções ou biquíni vestidos, óculos de sol colocados, toalha de praia ao ombro e lá vamos nós, diretos para um excelente dia de verão. Mas nem tudo dispara.

É o caso dos cuidados extra de hidratação. Numa estação em que devem ser redobrados, são deixados, muitas vezes, para segundo ou terceiro plano. Mas, além das peças obrigatórias para um dia de praia, é importante lembrar de levar a mais importante de todas: a água.

Para evitar a desidratação – o que pode trazer à superfície sintomas como a sede, perturbações ao nível do sistema nervoso ou falta de concentração –, deixamos-lhe algumas considerações que deverá seguir para que a sua hidratação não acabe “enterrada na areia”.

Recomendações de Ingestão de Água

A ingestão total de água recomendada é, no caso das mulheres, 2L/dia e, no caso dos homens, 2,5L/dia. Estes valores já contabilizam a água proveniente de alimentos, pelo que o consumo de água no seu estado puro deve ser de 1,5L e 1,9L, para mulheres e homens, respetivamente.

Há, no entanto, determinados contextos e grupos que requerem uma atenção, não redobrada, mas triplicada por serem mais vulneráveis à exposição solar e às suas consequências, nomeadamente a desidratação. Falamos, por exemplo, de crianças, doentes crónicos, idosos e mulheres grávidas (mulheres cuja ingestão diário adicional – além do 1,5L diários – deverá rondar os 300ml de água).

Um outro grupo de pessoas é dos amantes de desporto. Seja uma corrida pela marginal, uma partida de volley ou de outro desporto, qualquer prática de exercício físico traduz-se numa perda de água corporal mais elevada, que, no verão, é intensificada pelas elevadas temperaturas.

Nestes dias, deverá ser ingerida água de forma faseada e várias vezes ao longo do dia, em quantidades menores, evitando-se, assim, beber poucas vezes e em grandes quantidades.

O motivo está no facto de a absorção da água ser mais eficiente quando a ingestão é repartida.
Conselho muito importante: não espere, nunca, até ficar com sede, pois a sensação de sede é já um sinal de que o corpo está num estado de desidratação leve.

A solução está em beber água mais fresca?

Alguns estudos demonstram que a ingestão de água fresca durante e após os momentos de exercício físico pode aumentar a eficácia da hidratação.

A água fresca é, assim, uma ótima solução pela sensação de frescura que proporciona, contudo, devemos ter em conta que, se a temperatura ambiente for muito baixa – o que não acontece tanto no verão – a sensação de sede reduz, sendo essencial estar igualmente alerta e não assumir que o corpo não necessita de água continuamente (esta que é a única forma de garantir uma verdadeira hidratação).

Recordamos que, para que a água se mantenha bem conservada e fresca, pelo maior período de tempo possível, deverá ser guardada à sombra.

Água com gás? Claro que sim!

Beber água com gás pode ser uma excelente opção para os mais preguiçosos, para aqueles para quem é maçador beber água por não ter sabor ou, simplesmente, para os amantes de águas com gás.

A Vimeiro Gás, uma água mineral natural gaseificada, é ideal para acompanhar refeições e proporcionar uma sensação de frescura, de puro prazer e de bem-estar, ideal para dias onde as temperaturas elevadas se fazem sentir.

Além dos benefícios referidos acima, para pessoas que tentam reduzir ou eliminar por completo a ingestão de refrigerantes, a água com gás é a opção ideal: é saudável e não contém açúcares adicionais.

 

Qualquer que seja o seu contexto, falemos de idade ou de outras características pessoais, uma boa ingestão de água é incontornável, e ainda mais o é no verão.

Consulte o nosso Comparador de Águas para conhecer o que realmente importa numa água e escolha a que melhor o acompanha, não só no verão, mas ao longo de todo o ano.

Partilhe

Artigos Relacionados

Barulhos digestivos porque acontecem

Barulhos digestivos, porque acontecem?

Os ruídos abdominais são aqueles sons que ouvimos dentro do nosso estômago e intestinos que, por vezes, vezes, parecem um ronco vindo do estômago. Mas afinal, o que significam? Neste artigo, vamos explicar tudo o que precisa de saber sobre esses sons digestivos .

Águas do Vimeiro: Qualidade, Bem-Estar e Compromisso com a Saúde

A saúde começa, de facto, com um processo digestivo otimizado e é através deste que se consegue obter os nutrientes necessários ao bom funcionamento do organismo em todas as fases da vida.

Os minerais e as vitaminas – os micronutrientes – são essenciais para o bom funcionamento do sistema digestivo.

No entanto, é do conhecimento geral, que, atualmente, a dieta alimentar carece frequentemente destes micronutrientes essenciais, o que conduz a inúmeros problemas de saúde. Também os hábitos e a agitação quotidiana provocam o desconforto no funcionamento do organismo, sobrecarregando os órgãos envolvidos na digestão: a má mastigação, o comer de pé e à pressa, o excesso ou a falta de nutrientes principais.