Leite Adaptado – que água utilizar

Share on facebook
Partilhe

Ao longo dos primeiros seis meses de vida, o leite materno é a principal fonte de alimento do bebé,. Mas, por razões várias, nem sempre o aleitamento materno em exclusivo é possível, sendo necessário recorrer a fórmulas infantis.

O que é o leite adaptado?

Sabe-se que o leite materno colmata em exclusivo todas as necessidades do lactente durante o primeiro semestre de vida. E recomenda-se que, até ao final deste período, seja a única – ou pelo menos a principal – fonte láctea do bebé, mesmo enquanto decorre a diversificação alimentar.

Quando, por razões diversas, tal não é possível, é comum recorrer-se ao leite adaptado, uma fórmula que satisfaz as necessidades nutricionais e ajuda a otimizar o crescimento e desenvolvimento do bebé nesta fase crucial do ciclo vital.

As fórmulas infantis, ao longo dos anos, têm sido alvo de estudo, modificação e evolução. A grande maioria é produzida a partir do leite de vaca, e a indústria alimentar infantil tem desenvolvido esforços para aproximar a sua composição à do leite humano, dando assim resposta a todas as necessidades nutricionais dos bebés.

Por exemplo, as necessidades energéticas do lactente durante o primeiro ano de vida são substancialmente mais elevadas no primeiro semestre, particularmente, nos primeiros 2 meses. Isto é revelador, entre outros aspetos, das diferenças na velocidade de crescimento. Assim, as fórmulas infantis para lactentes e de transição respeitam valores de densidade energética semelhantes aos do leite humano, que variam entre 60-70 kcal/100ml.

São também ricas em proteínas, hidratos de carbono, lípidos, e outros nutrientes fundamentais ao desenvolvimento saudável do bebé, o que faz com que sejam uma excelente alternativa ao leite materno, quando necessário.

As fórmulas que podemos encontrar no mercado estão segmentadas por idade do lactente e por função:

  • Fórmula Infantil 1 (para lactente) – 0 aos 12 meses (podendo manter-se até aos 24/36);
  • Fórmula Infantil 2 (de transição) – 6 aos 12 meses (idealmente até aos 24/36);
  • Fórmulas especiais (com recomendação médica) – anti refluxo, com proteína parcialmente hidrolisada e fórmulas para prematuros;
  • Fórmulas “funcionais” (casos particulares e pelo mínimo tempo possível) – anti obstipante, anticólica, anti diarreia;

Existem ainda fórmulas de continuação/crescimento (fórmulas 3, 4 e 5) que, até ao momento, não têm nenhum suporte científico ou legislativo para a sua utilização.

Leite Adaptado – como usar

Caso seja necessário recorrer a fórmulas infantis, existem algumas regras para a sua utilização em recém-nascidos de termo, a partir dos 7 dias de vida:

  • Dependendo da idade, devem ser oferecidas 6 a 8 refeições por dia (24horas). O intervalo médio entre refeições deve ser de 3 a 3,5 horas (idealmente não mais de 4 horas);
  • O volume diário total deve ser de 150ml/kg/dia, não ultrapassando o volume máximo de 180 a 210ml por biberão;
  • O leite deve ser preparado para cada mamada. Caso seja preparado para a totalidade do volume diário deverá ser guardado no frigorífico. No momento da mamada deve ser aquecido em “banho-maria” ou em aquecedor para biberões, apenas na quantidade necessária. Caso haja sobra, a mesma deve ser desperdiçada.
  • A água a utilizar na preparação das fórmulas infantis deve ter um pH neutro (6,7 a 7,7) e a temperatura no momento da reconstituição deve ser de 37ºC. A água demasiado fria impede a adequada diluição dos nutrientes e demasiado quente (ponto de fervura) aumenta o risco de desnaturação da proteína, bem como a destruição dos minerais e vitaminas lipossolúveis.
  • Até aos 4 meses de idade do bebé, os biberões devem ser sempre lavados com sabão (não detergente) e escovilhão, e posteriormente esterilizados.

Que água usar na preparação da fórmula infantil e outras questões comuns

Uma das questões mais colocadas pelos pais é que água usar na preparação do leite adaptado. Por ter minerais essenciais à alimentação do bebé, recomenda-se a Vimeiro Original.

Para além do seu pH se situar dentro dos valores recomendados, é generosa em minerais – cálcio, potássio, magnésio e bicarbonato – que ajudam à formação, desenvolvimento e funcionamento regular do organismo do bebé, seja como blocos fundamentais da estrutura orgânica, seja como promotores ou participantes de processos bioquímicos.

Outra das questões mais frequentes é se a água deve ou não ser fervida. Com a Vimeiro Original, esse problema deixa de existir, pois esta água mineral natural não necessita nem deve ser fervida para posterior consumo do bebé, podendo, contudo, ser aquecida. Isto faz da Vimeiro Original uma solução extremamente prática, que pode ser levada para todo o lado.

E as cólicas?

Há já várias décadas que gerações de pais recomendam a Vimeiro Original para ajudar nas cólicas dos bebés, e é fácil perceber porquê.

Sabemos de antemão que a digestão do leite materno é mais fácil que a do leite adaptado.  A utilização de uma água generosa em bicarbonato na sua preparação vai ajudar em muito o processo digestivo do bebé e a consequente prevenção ou diminuição das tão conhecidas cólicas, ainda mais frequentes em lactentes alimentados com leite de fórmula. E que água é generosa em bicarbonato?

Não são só os bebés que beneficiam de Vimeiro Original nesta fase tão importante da sua vida. Estejam a amamentar ou não, as mamãs também usufruem das características únicas da nossa água.

Por isso, não se esqueça: a fórmula para uma vida saudável contém Água do Vimeiro.

Share on facebook
Partilhe

Artigos Relacionados