Hidratação: um pilar para os jogadores de rugby

Share on facebook
Partilhe

A hidratação e a nutrição são os pilares de uma boa condição física, mas também para a saúde mental, energia e bem-estar dos atletas. Mas cada desporto tem as suas exigências específicas, e o rugby não é excepção.

No rugby, os cuidados com a hidratação e a alimentação são diferentes de outras modalidades devido às características próprias deste desporto de equipa, que combina períodos prolongados de exercício com repetidas e intermitentes explosões de alta intensidade, alternadas com exercício de menor intensidade. 

A resistência à fadiga e uma elevada função cognitiva para a tomada de decisões e para a execução de habilidades complexas são imprescindíveis para um melhor desempenho dos atletas. E um dos fatores mais importantes para os jogadores manterem a aptidão física e mental durante um jogo de rugby é a hidratação.

Quando se fala de nutrição no desempenho atlético no rugby, a hidratação é, por vezes, deixada para a segunda linha. Só que, como os jogadores dessa posição, o seu papel é fundamental e não pode ser deixado ao acaso.

Falar de hidratação não será tão interessante como discutir um treino de pernas ou um programa de cardio. Mas quantos jogadores de rugby se esquecem de levar a sua garrafa de água para o treino? Quantos fazem o seu treino à base de açúcar e bebidas desportivas? 

Esta é uma oportunidade para repensarem a forma como se hidratam, otimizar o seu desempenho desportivo e fazer uma placagem à desidratação a que se sujeitam inadvertidamente.

Ensaio para uma hidratação correta

A sensação de cansaço durante o dia, ou de maior lentidão no início do treino de rugby pode muitas vezes ser atribuída a uma ligeira desidratação, já que muitos atletas não bebem água suficiente durante o dia. 

Algumas estimativas colocam o número de atletas que sofrem de ligeira desidratação em valores superiores a 75%, o que pode levar a uma redução do desempenho físico em campo.

Todos os jogadores de rugby devem ter conhecimento de que a água:

– transporta glicose e oxigénio para os músculos;

– regula a temperatura corporal;

– lubrifica as articulações e tecidos;

– serve de substrato de construção para o cérebro, sangue, músculo e células ósseas;

– facilita a digestão e a conversão dos alimentos em energia;

– remove os subprodutos metabólicos como o dióxido de carbono das fibras musculares.

Como referido, a desidratação pode prejudicar a capacidade cognitiva e física de um jogador, portanto, é importante manter-se hidratado para melhorar o desempenho. Durante um jogo de rugby é frequente assistir-se à perda de 3 a 4% do peso corporal de água ou ainda mais, o que compromete significativamente o rendimento físico e cognitivo em campo. 

Para que os jogadores de rugby não fiquem offside na questão da hidratação, terão que ter atenção ao consumo de líquidos em cada uma das partes fundamentais do exercício.

Hidratação pré-exercício

A natureza do esforço intermitente do rugby permite que os jogadores tenham acesso a uma ingestão de líquidos durante a competição e o treino.  Variáveis como a intensidade do exercício, a frequência, a duração e os fatores ambientais, tornam a criação de um protocolo específico para hidratação durante o exercício quase impossível e não sensata.  

O Colégio Americano de Medicina Desportiva recomenda que, durante o exercício, deve evitar-se a perda excessiva de peso corporal de água (>1-2%) a fim de prevenir quaisquer alterações excessivas no equilíbrio eletrolítico.  Ao consegui-lo, minimiza-se a redução no desempenho físico e cognitivo associados à alteração da quantidade dos líquidos corporais. 

Devido à variabilidade nas taxas de transpiração e no conteúdo de eletrólitos do suor entre os diferentes atletas, devem ser utilizados protocolos personalizados de substituição dos líquidos perdidos, em vez de um protocolo para todos.  Isto é possível através da medição do peso corporal antes e depois do exercício para estimar as taxas de suor.

Se o atleta perder peso durante um treino, no treino seguinte deverá garantir a ingestão de água de forma a minimizar a perda de peso corporal. Para tal, deve-se somar a perda de peso à quantidade/volume de bebida ingerida durante o treino.  O resultado final corresponde à quantidade de líquidos a ingerir pelo atleta ao longo de todo o treino, de uma forma fracionada.

Hidratação pós-exercício

Para se conseguir uma boa reidratação após o exercício, é frequentemente recomendado ingerir 150% do peso perdido (ou dos fluidos perdidos) nas 4 horas seguintes ao exercício. 

Por outras palavras, seria necessário beber 500 ml/hora (durante 4 horas) por cada 2 kg de peso perdido.  Esta recomendação baseia-se no facto de que, se beber elevadas quantidades de líquidos muito rapidamente, será estimulada a produção de urina e nem toda a água é retida. 

A adição de sódio e dos outros eletrólitos perdidos no suor devem estar incluídos na bebida de reidratação ou nos alimentos que se ingerem nas horas após o exercício, de forma a ajudar na retenção dos líquidos e dessa forma recuperar a boa hidratação corporal.  

O rugby é um desporto complexo, onde o equilíbrio e o esforço coletivo são mais importantes do que a força ou um elemento individual, e onde todas as partes fazem um todo maior do que a sua soma. Como a nossa água.

A Vimeiro Original é composta por uma equipa de minerais perfeita para atletas que procuram um melhor desempenho. Em breve falaremos dos benefícios que cada um deles tem para os desportistas. Entretanto, consulte o nosso comparador e descubra como a Água do Vimeiro se destaca das demais. 

 

Dra. Cláudia Minderico

Dra. Cláudia Minderico

Nutricionista Clínica e Desportiva

Share on facebook
Partilhe

Artigos Relacionados