Hidratação no período da amamentação

Share on facebook
Partilhe

Se está a amamentar, é importante que se mantenha hidratada. Mas, o que devem as mães beber e em que quantidade?

Durante a amamentação, as mães devem ter em conta não só as suas próprias necessidades naturais de hidratação, mas também a quantidade de água que é precisa para a produção de leite materno. Ou seja, a mãe deve ingerir a quantidade de água indicada para uma mulher não-lactante da sua idade, mais a quantidade de leite produzida diariamente que deverá estar entre os 550 ml e 1200 ml nos primeiros 6 meses de vida do bebé. 

De uma forma geral, e de acordo com valores médios, as mães devem consumir diariamente entre 3 a 3,8L de água por dia

A escolha da água é também de extrema importância. Deve-se optar por uma água equilibrada em minerais na sua composição, com eletrólitos que ajudem a regular e a manter o equilíbrio hídrico do organismo. A Vimeiro Original é uma água generosa em cálcio, um dos minerais de particular relevância nesta fase da vida dos bebés. Mas dos minerais iremos falar num próximo artigo.

Importa referir que o consumo adequado de água não é, por si só, uma garantia do sucesso da produção de leite materno pois na base deste mecanismo tão natural está todo um processo hormonal que é desencadeado pelo estímulo produzido pela sucção do bebé e pela resposta da mãe aos seus sinais de fome.

Como se manter hidratada

Uma boa hidratação assenta na construção de hábitos de ingestão de líquidos e atenção aos sinais de alerta. Para além de fazer a ingestão de forma regular, ao longo do dia, da quantidade de água indicada acima, as mães podem aplicar estes conselhos práticos para não ficarem desidratadas:

Responda o mais breve possível à sua sede – este é um dos primeiros mecanismos através do qual o corpo lhe comunica que precisa de beber água, mas este sinal revela já uma ligeira desidratação;

Verifique a cor da sua urina – que deve ser de cor clara. Caso se encontre mais escura, provavelmente necessita de beber mais água;

Consuma alimentos ricos em água – sopas, saladas e fruta também são muito importantes para manter níveis adequados de hidratação.

Atenção a estas bebidas

O consumo de cafeína e/ou álcool não é aconselhado durante o período da amamentação, não só por promoverem a desidratação mas também por terem efeitos adversos no desenvolvimento e na saúde do bebé. 

Cafeína

Uma das fontes mais comuns de cafeína é o café, um hábito na vida de muitos portugueses que juram não conseguir viver sem a sua dose diária. 

A cafeína é um estimulante suave do sistema nervoso central, que está também presente no chá, em bebidas energéticas e alguns refrigerantes, em certos tipos de medicamentos de venda livre e em alguns alimentos, como o chocolate.

A evidência científica sugere que a cafeína pode ser transferida para o leite materno. Como a capacidade do bebé em metabolizá-la e excretá-la é lenta, uma elevada concentração deste componente no leite materno pode levar à irritabilidade, piores padrões de sono e eventualmente a maior atividade intestinal do bebé. 

Mas isso significa que as mães devem deixar de beber café ou comer chocolate? Não necessariamente, mas o seu consumo deverá ter algumas regras: 

Limite a ingestão diária de cafeína – máximo de 200mg/dia, o que corresponde a dois cafés expresso;

Opte por versões descafeinadas sempre que não tiver certeza dos níveis de cafeína – o café servido nas cafetarias e restaurantes pode ter níveis mais elevados de cafeína;

– A cafeína também se encontra em bebidas energéticas e alguns refrigerantes, pelo que se desaconselha o seu consumo;

–  Se consumir bebidas que contêm cafeína, opte por fazê-lo logo após a amamentação.  Isto permite limitar a quantidade de cafeína presente na próxima mamada.  

Álcool

A exposição ao álcool no período pós-natal, nomeadamente durante a amamentação, pode ter consequências graves para a criança.

O álcool, tal como a cafeína, também é transferido para o leite materno.  Pode levar não só a uma redução na produção de leite, mas sobretudo provocar efeitos adversos a curto e longo prazo no bebé, nomeadamente no desenvolvimento neuro motor e, mais tarde, na aprendizagem. O ganho de peso e doenças metabólicas também podem advir da exposição a este elemento. 

A abstinência de álcool, de acordo com a OMS, deve ser total durante o período de lactação, não existindo nem uma dose segura, nem uma fase do período da amamentação em que o seu consumo seja inócuo.

Em resumo:

– Limite a cafeína e exclua por completo o álcool;

– Beba toda a água que precise para se manter hidratada e saciada;

A amamentação é um momento especial entre a mãe e o bebé.  Mantenha-se hidratada com uma água que tem todos os minerais que contribuem para que também seja um momento saudável. 

Cuide do seu corpo por inteiro. Beba Água do Vimeiro.

Enf. Célia Pinheiro

Enf. Célia Pinheiro

Enfermeira em Pediatria e Conselheira em Aleitamento Materno pela UNICEF

Share on facebook
Partilhe

Artigos Relacionados