Hidratação no Ciclismo

Share on facebook
Partilhe

Os ciclistas estão por toda a parte: vestidos de fato a caminho do trabalho, com os filhos pelas ciclovias ao fim de semana, ou em grupo e equipados a rigor a pedalar em grande ritmo por essas estradas fora. As bicicletas tanto servem para lazer, como para desporto, e até mesmo como meio de transporte. O ciclismo é mais do que uma atividade competitiva, é uma forma de estar na vida.

Como qualquer atividade física, andar de bicicleta exige bastante dos recursos do organismo, pelo que é necessário manter o equilíbrio, e não estamos a falar só do equilíbrio em duas rodas.  Estejam em modo competitivo ou apenas em lazer, os ciclistas deverão ter cuidado com a sua hidratação, que tanto interfere no seu desempenho desportivo e no bem-estar.

O que deve então ir no bidon? Uma água com propriedades únicas para uma reposição hídrica eficaz.  

Evitar a desidratação nos ciclistas

Um ciclista pode passar bastantes horas em cima da bicicleta, em grande velocidade ou em subidas exigentes. Como nesta modalidade pode existir uma enorme variedade de intensidade e duração do esforço, estes atletas perdem naturalmente muita água através do suor e da respiração, que deverá ser reposta através da ingestão de líquidos.

Sem uma reposição eficaz, os sintomas de desidratação podem manifestar-se de várias formas: fadiga muscular, pior desempenho desportivo, cãibras e/ou tonturas. Ao sentir algum destes sintomas, os ciclistas devem interromper a atividade, para descansar e repor os líquidos necessários.

Para os amadores do ciclismo, quer gostem de fazer dezenas de quilómetros ou apenas pedalar por prazer, temos algumas sugestões para que não só bebam água de forma a estarem sempre bem hidratados, mas também para que escolham a água mais adequada.

Hidratação para ciclistas

A hidratação é um fator fundamental para todos os ciclistas, especialmente os que levam esta atividade mais a sério. Não basta encher o bidon de água e beber no fim do percurso. Para não lutar contra a desidratação em contrarrelógio, é preciso planear e saber dosear a quantidade de líquidos a ingerir durante a atividade.

A nível profissional, todos os goles estão planeados de forma científica e ao pormenor. Se seguem as grandes Voltas, sabem da importância dos pontos de reabastecimento para os ciclistas e da quantidade de bidons que vão sendo distribuídos ao longo do percurso. A hidratação é feita de forma clínica, metódica e cuidada.

A hidratação do ciclista começa bem antes de se sentar no selim. Atleta ou não, este já deve ter hábitos saudáveis de hidratação, consumindo líquidos na quantidade necessária para se manter hidratado no dia a dia. A dose diária recomendada são cerca de 35ml de líquidos por quilo de peso, mas, para atletas, deverá ser acrescentada a quantidade necessária para compensar a perda de água que acontece durante o treino e as provas.

Duas horas antes de se fazer à estrada, o ciclista deve beber entre 250 a 500 ml de água. E porque não beber mais? Primeiro, porque terão rapidamente vontade de fazer uma paragem para ir ao WC. Depois porque, devido aos processos de absorção de líquidos, beber mais antes de começarem a pedalar não dispensa a reposição hídrica durante o percurso.

Se a atividade durar mais de 3 horas, o tipo de água que se bebe é ainda mais importante, pois é necessário repor também potássio, um mineral essencial para manter o rendimento muscular e evitar a desidratação.

A hidratação não acaba quando passam a linha da meta. Continua nas horas seguintes, sendo necessário repor os líquidos e sais minerais perdidos durante o esforço. A ingestão de água deve ser feita em pequenas doses e até ao final do dia. Um bom indicador para avaliar o grau de hidratação é a cor da urina: se for clara, então o ciclista ingeriu líquido suficiente.

Uma água com pedal

A Água do Vimeiro já anda na alta roda do ciclismo nacional há algum tempo, como patrocinadora de algumas equipas:

Academia Joaquim Agostinho;

–  EFAPEL Cycling Team;

LA Sport;

Sicasal Miticar Torres Vedras Cycle Team;

A Vimeiro Original é uma excelente escolha para os ciclistas de todos os níveis, objetivos e modalidades, pois é composta por minerais essenciais para atletas que procuram a camisola amarela do equilíbrio, da hidratação e do bem-estar.

Estes minerais têm um impacto direto no rendimento dos atletas, minimizando a fadiga e otimizando a função nervosa e a contração muscular.

A Vimeiro Original contém 148,8 mg/L de sódio, um mineral que reduz as cãibras musculares, desempenha um papel importante na absorção de líquidos mantendo o equilíbrio dos fluidos dentro do corpo e facilitando uma boa hidratação. É um mineral importante para atletas que fazem esforços com duração superior a 60 minutos, particularmente em ambientes quentes.

Por norma, aconselha-se a ingestão de águas com 150 a 400 mg/l de sódio para repor parte das necessidades dos atletas, sendo o restante reposto por alimentos. O sódio é um no meio do pelotão de minerais da Vimeiro que correm consigo até à meta da hidratação e que inclui ainda o potássio, magnésio, cloreto, cálcio e o bicabornato de sódio (principal tampão extra celular), entre outros.         

 Agora já sabe, seja em prova ou em passeio, leve sempre consigo uma água que lhe ofereça o equilíbrio por inteiro.

Dra. Cláudia Minderico

Dra. Cláudia Minderico

Nutricionista Clínica e Desportiva

Share on facebook
Partilhe

Artigos Relacionados